quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Luis Domenech da Comgás

Na sua longa trajetória, essa empresa usou os mais diversos tipos de combinações para produzir combustíveis, de azeite a gás de hidrogênio carbonado, carvão, nafta, uma mistura envolvendo água e hulha, até chegar ao gás natural, o combustível ecológico do século 21. A implantação do gás natural, último ciclo de uma programação iniciada no final da década de 1980, foi considerada a fase mais importante de toda a história dessa companhia, que esteve presente na vida de São Paulo desde a extinção dos lampiões a azeite de baleia.
A meta da nova administração é expandir essa empresa e torná-la a maior distribuidora de gás natural da América Latina, tendo como base a qualidade, a segurança e o respeito pelo meio ambiente.
O Blog Ética nos Negócios entrevistou Luis Domenech, CEO da Companhia de Gás de São Paulo, conhecida por todos nós, como Comgás.
A Comgás é uma companhia centenária que faz parte da história do Estado de São Paulo. Foi em 1872 que essa empresa, recebendo autorização do Império, iniciou suas atividades que tinham como objetivo a exploração da concessão dos serviços públicos de iluminação em São Paulo.
No final da década de 90, durante o processo de privatização que visou a melhoria da qualidade dos serviços públicos oferecidos pelos governos aos cidadãos, o controle acionário da Comgás foi arrematado pelo consórcio formado pela inglesa British Gas e pela anglo-holandesa Shell, por R$ 1,65 bilhão. Desde o dia 21 de maio de 1999, a Comgás tem como novos controladores duas das maiores empresas de energia do mundo.
Blog: É uma grande satisfação receber você aqui no Entrevista CEO. Sempre iniciamos nosso bate papo conhecendo a pessoa convidada a falar ao Blog Ética nos Negócios. Por isso, gostaríamos que você falasse sobre o Luis Domenech.
Luis Domenech: Sou argentino, casado há 30 anos, tenho dois filhos que moram em Buenos Aires, minha formação profissional é administração de empresas. Moro há três anos no Brasil e estou adorando viver aqui, gosto do trabalho que tenho aqui, gosto da cidade de São Paulo e especialmente dos brasileiros.
Eu vim de Buenos Aires, onde era presidente da Metrogas, que é também uma empresa controlada pelo Grupo BG, principal acionista da Comgás. Foi o Grupo BG que me trouxe para o Brasil com a finalidade de continuar o trabalho de fazer a Comgás crescer, apresentando os melhores resultados financeiros possíveis, com elevado padrão de qualidade e de segurança.
Blog: De acordo com a Revista EXAME Melhores & Maiores – Edição 2006, a Comgás está entre as 100 maiores empresas em atuação no Brasil, ocupa a 29º colocação no ranking do Setor de Serviços e é a 7º melhor empresa no rol daquelas de Serviços Públicos. Como é conduzir uma empresa deste quilate? Quais seus maiores desafios como CEO?
Luis Domenech: A Comgás é uma empresa que está em franca transformação e expansão. A transformação começou quando os novos controladores, o Grupo BG e a Shell, assumiram a empresa, em maio de 1999. Hoje a Comgás distribui quatro vezes mais gás natural canalizado do que quando foi privatizada, conseguimos transformá-la em uma companhia de categoria mundial, com os mais elevados padrões de qualidade e segurança e tudo isso está ocorrendo dentro de um período de constante crescimento da empresa. Meu grande desafio é liderar essa transformação, fazendo que com que a companhia e todo o seus empregados cresçam juntos e que apresentem melhorias constantes. Procuramos sempre atuar com base nos sete indicadores desenvolvidos pelo Instituto Ethos, que pautam as empresas para a responsabilidade social. Tenho ainda que assegurar que a Comgás preste o melhor serviço possível aos nossos clientes e definir a melhor forma de conduzir os negócios. Além disso, trabalhamos para melhorar nossas práticas de governança corporativa, em linha com princípios éticos e de transparência vigentes nas melhores empresas.
Blog: Inúmeros serviços públicos foram privatizados no Brasil. Apesar das críticas de alguns setores, não há como negar que após a concessão houve intensivos investimentos, trazendo melhorias significativas nos serviços prestados à sociedade. Isso também ocorreu com a Comgás?
Luis Domenech: Sim, definitivamente. Desde a privatização, os novos controladores investiram quase R$ 2 bilhões para ampliar a rede e oferecer aos nossos clientes serviço de qualidade e dentro das normas mais rígidas de segurança. Nosso lema é: "faça com segurança ou não faça". O grande resultado colhido é que em sete anos como empresa privatizada, a Comgás cresceu muito mais que em toda a sua história e a Comgás completa este ano 135 anos. Fizemos muito e vamos continuar a fazer. Por exemplo: quando a Comgás foi privatizada tinha uma rede de pouco mais de 2 mil quilômetros. Hoje temos quase 5 mil quilômetros de rede de distribuição. Em 1999 atendíamos 17 municípios, hoje são 59 cidades que contam com o gás natural. O número de postos de GNV não chegava a 20 e hoje são mais de 370. São resultados muito significativos e o melhor é que trabalhamos com um combustível que é usado em substituição a outros que são mais poluentes, ou seja, colaboramos para um planeta melhor, menos poluído. Gostaria de lembrar também que na época da privatização, a Comgás tinha pouco mais de mil empregados e hoje geramos mais de 4 mil empregos diretos e indiretos.
Blog: E é por tudo isso que a Comgás é hoje a maior distribuidora de gás natural canalizado do país, atuando na distribuição do gás natural da região metropolitana de São Paulo, Vale do Paraíba, Baixada Santista e Campinas. Quais os principais objetivos conquistados em 2006 e quais as metas de destaque para 2007?
Luis Domenech: Ainda temos que continuar a ampliar nossa rede de distribuição de gás natural para levar nosso combustível a um número maior de clientes. Em 2006 conectamos quase 50 mil novos clientes, passamos a barreira dos 500 mil clientes conectados e vamos trabalhar para superar nossos resultados este ano. Por exemplo, temos como meta conectar 75 mil novos clientes em 2007, o que é um grande desafio, mas estou confiante de que o time Comgás vai conseguir se superar mais uma vez.
Blog: Muitas pessoas não sabem o que é o gás natural e, às vezes até o confundem com o conhecido gás de cozinha, o GLP. Você poderia explicar aos nossos leitores as características, os benefícios e as vantagens deste tipo de combustível? E porque o gás natural é chamado de “combustível verde”?
Luis Domenech: Vou começar falando dos benefícios e vantagens do gás natural. O gás natural é mais seguro que o GLP, que é o gás de botijão, porque o gás natural é mais leve que o ar e no caso de vazamento, por exemplo, se dissipa no ar, o que não ocorre com o GLP, que é mais denso e forma bolsões próximo do solo. Ainda no item segurança, é bom destacar que o gás natural não necessita de armazenagem, o usuário não precisa ficar com botijão dentro de casa, da indústria ou do comércio. Outro item é a praticidade devido ao fornecimento contínuo, o usuário não precisa se preocupar se o botijão está acabando e, além disso, o pagamento é feito somente após o consumo. Há ainda outras vantagens, como aproveitamento total do combustível, ser um produto ecologicamente correto e, além disso, há o Comgás 24 horas, que é um canal direto com os clientes, todos os dias e a toda hora.
O gás natural é considerado um “combustível verde” porque é muito menos poluente que o óleo combustível ou qualquer outro combustível fóssil. Trata-se de um combustível mais limpo e ecologicamente correto. A queima do gás natural emite quantidade menor de material particulado, que é a fumaça preta; é praticamente isento de SO2, que é o enxofre; e emite quantidades menores de CO2, (monóxido de carbono), hidrocarbonetos e óxido de nitrogênio.
Blog: Quais as principais aplicações do gás natural? Em quais segmentos de mercado ele pode ser utilizado? Existe algum tipo de resistência para trocar a utilização de um combustível mais poluente para o gás natural? Como esse paradigma vem sendo quebrado?
Luis Domenech: O gás natural pode ser usado nos segmentos residencial, comercial, industrial, automotivo e em termos de co-geração. Estamos conseguindo entrar em todos esses mercados. Eu gostaria de aproveitar essa questão ligada ao aspecto ambiental para lembrar que Cubatão, na Baixada Santista, há alguns anos era uma das localidades mais poluídas do Brasil, talvez do mundo. Hoje, a situação é bem diferente, melhorou muito e atualmente, ao contrário do passado negro, as grandes indústrias locais são abastecidas pelo gás natural.
Blog: Gostaríamos de nos concentrar na aplicação do gás natural na geração de energia, na indústria e nos transportes, haja vista que estes segmentos acabam sendo os grandes vilões do aquecimento global. Com exceção do elevado desmatamento que deve ser combatido com maior vigor, o Brasil ainda é um país privilegiado em virtude de sua energia ser gerada, basicamente, através de hidroelétricas, ou seja, nossa energia é de fonte limpa e renovável, e com isso, nossa economia irá se beneficiar do promissor mercado de créditos de carbono em expansão em todo o planeta. Contudo, na área industrial como vem sendo a aceitação à troca de combustíveis fósseis para o gás natural? Quais as principais razões para uma empresa passar a utilizar esse combustível? Em sua opinião, essa conversão pode ser encarada como uma responsabilidade ambiental dessas empresas?
Luis Domenech: Muitas empresas migram para o gás natural devido às questões ambientais, mas o fator que mais pesa para a mudança de combustível é a questão financeira, principalmente quando se trata do setor industrial, mas o gás natural invariavelmente é menos poluente que o óleo combustível, o diesel e todos os demais combustíveis fósseis e somos muito competitivos financeiramente.
Em relação à geração de energia elétrica, o gás natural terá um papel complementar ao do sistema hidrelétrico nacional, para dar maior confiabilidade na produção de energia elétrica.
Blog: Já no setor de transportes, o Brasil vem dando exemplos ao mundo. Primeiro, com o álcool que é um combustível de fonte renovável e já está sendo exportado para outros países, tanto o produto em si como a sua correspondente tecnologia. Seu principal benefício é o de emitir menos poluente na atmosfera em relação à gasolina e à própria emissão de CO² quando da queima do álcool combustível, acaba sendo compensada em função do seqüestro de carbono conseguido na plantação de sua matéria-prima, no caso do Brasil, a cana-de-açúcar. Agora chegou a vez do BioDiesel que também é outro combustível verde que contribuirá com a redução de poluentes. Qual a razão de não haver maior incentivo para a utilização do gás natural veicular (GNV) em outros tipos de veículos, como é o caso do nosso vizinho, a Argentina? E mesmo com pouco incentivo o mercado de GNV cresce a passos largos no país, por quê?
Luis Domenech: O mercado de gás veicular cresce a passos largos principalmente porque oferece economia ao usuário, chegando a 70%. Este é o principal motivo do sucesso. O uso do gás natural em veículos leves é indicado apenas para quem roda pelo menos perto de 100 quilômetros por dia, não é indicado para todos os usuários porque tem o custo da instalação do kit de GNV. Por exemplo, para o usuário que anda mais de 100 quilômetros com seu veículo por dia, demora cerca de seis meses para conseguir o retorno do investimento feito, para depois realmente economizar. Particularmente não sou a favor de subsidio para veículos leves a gás natural. Agora, sou um defensor ferrenho do uso do gás natural para ônibus urbanos e para transporte de carga de curta distância.
Blog: Recentemente, lançamos a 1ª Pesquisa sobre Código de Ética Corporativo no Brasil com o objetivo principal de motivar o maior número de empresas na elaboração e adoção desse instrumento. Nessa inédita pesquisa, constatamos que a Comgás possui sua Declaração de Princípios. Qual a sua importância?
Luis Domenech: A Comgás tem uma Declaração de Princípios e Valores e a ética é um dos nossos principais valores. Para a empresa é muito importante a transparência em tudo que é feito, tanto junto aos clientes, como ao acionista, ao regulador e a todos os nossos fornecedores e parceiros.
O RH da Comgás está desenvolvendo um grupo de trabalho para a formulação de um Código de Ética da empresa. Neste grupo membros representando todas as áreas da empresa construirão nosso Código de Ética.
Blog: O que significa Responsabilidade Social Corporativa para a Comgás?
Luis Domenech: Com a privatização, a Comgás passou por uma grande transformação e, desde então, tem trabalhado a questão da sustentabilidade nos seus processos, equilibrando o bom desempenho econômico-financeiro com respeito ao meio ambiente e a excelência na gestão de seu relacionamento com os diversos públicos de interesse, promovendo o desenvolvimento social por meio de iniciativas diversas e pela própria natureza de seu produto, o gás natural.
Blog: E é essa seriedade que levou a Comgás a elaborar a política de Investimento Social? Em linhas gerais, qual a finalidade dessa política?
Luis Domenech: Seriedade e busca pela excelência pautam a performance de nossos investimentos nesta área. Em 2000, motivada por seus acionistas (Grupo BG e Shell), a Comgás pôde desenvolver uma Política de Investimento Social sólida e avançada.
Ao elaborar a Política de Investimento Social e os projetos que dela derivaram, a empresa buscou fortalecer e sedimentar sua atuação na área social. Por isso, ancorou-a em seus valores corporativos, de forma estruturada (com alocação de recursos, planejamento de longo prazo e visando à sustentabilidade) e estratégica, de modo a gerar ações efetivas e inovadoras que possam ser disseminadas em parcerias com outros segmentos da sociedade.
A companhia busca sempre considerar a co-responsabilidade e a capacidade das comunidades de operar suas mudanças.
Blog: Quais as principais ações de responsabilidade social desenvolvidas pela Comgás?
Luis Domenech: De nosso política, originaram-se três programas:
1. Aprendiz Comgás: dirigido a jovens;
2. Projeto de Educação Ambiental: para crianças;
3. Voluntariado: para os empregados, terceiros e respectivos familiares.
Blog: Gostaríamos que você destacasse o exemplar Progama Aprendiz Comgás – o PAC? Quais seus objetivos e projetos mais significativos?
Luis Domenech: O Programa Aprendiz Comgás trabalha com jovens de 14 a 18 anos, estudantes de escolas públicas (80%) e privadas (20%). Os adolescentes são convidados a participar ativamente de programas em suas comunidades por meio de projetos que eles mesmos propõem e desenvolvem. Assim, o programa trabalha com o conceito de protagonismo juvenil, em que os jovens são atores e autores de iniciativas em prol de suas comunidades. Em consonância com a Política de Investimento Social que visa a geração de tecnologias sociais, o Aprendiz Comgás foi criado na cidade de São Paulo e expandido gradualmente em direção ao interior, na etapa chamada DisseminAção. Essa etapa forma educadores-multiplicadores que vão replicar o programa no interior.
Em 2005, o programa chegou aos municípios de Hortolândia, Americana, Indaiatuba, Jaguariúna e Pedreira, na região de Campinas. Em 2004, já havia contemplado São José dos Campos (Vale do Paraíba), São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul (no Grande ABC). Em 2006, a ação foi focada no município de Campinas.
Desde sua fundação, em 2000, já passaram mais de 1100 jovens em 200 projetos sociais em São Paulo. No interior, em dois anos, foram mais de 70 professores e 600 jovens de escolas públicas envolvidos na elaboração de projetos sociais nos seus municípios.
Blog: Em sua opinião, qual a importância de uma empresa elaborar seu Balanço Social? A Comgás é adepta a esta prática empresarial? Por quê?
Luis Domenech: Fundamental, sem dúvida. A Comgás publicou seu primeiro Balanço Social em 2002. Hoje, produzimos um relatório único, o de Sustentabilidade, mostrando a performance das três importantes vertentes do desenvolvimento sustentável de forma integrada: o ambiental, o social e o econômico. Seguimos o padrão GRI, Global Reporting Initiative, adotado mundialmente como referência.
As empresas hoje têm sua participação e atuação social ampliadas. É importante ser transparente e comunicar em que medida e como elas têm contribuído, interna e externamente, com a promoção do desenvolvimento sustentável.
Blog: A elaboração desse instrumento é característica de grandes empresas?
Luis Domenech: Não. Acredito que a intenção de comunicar seu desempenho com transparência é hoje percebida e valorizada pela sociedade, independente do porte da empresa.
Blog: Quais as dicas que você pode deixar aos jovens que desejam ser os Líderes Socialmente Responsáveis de amanhã?
Luis Domenech: Que comecem hoje. A Comgás tem um compromisso forte com a juventude. Por isso, investe no Aprendiz Comgás, seu carro-chefe na área social, e busca valorizar o empreendedorismo juvenil. Acreditamos que o jovem pode e deve ser estimulado a ser ator e autor de intervenções na comunidade, contribuindo de forma ativa na sociedade.
Blog: O Blog Ética nos Negócios quer agradecer imensamente o presidente da Comgás, Luis Domenech, por tão honrosa oportunidade. Muito obrigado por sua participação no Entrevista CEO. Um abraço!
Luis Domenech: A satisfação é toda nossa!

3 comentários:

Dmitri Cerboncini Fernandes disse...

A Empresa Comgás, por meio de sua contratada Construtora Oxford Ltda., no dia primeiro de outubro de 2009, iniciou uma obra de recapeamento de asfalto no cruzamento entre as Ruas Baronesa de Itu e Doutor Brasílio Machado - Higienópolis - às 1:59 horas da manhã, uma madrugada de quinta-feira.

A referida obra trouxe transtornos diversos aos moradores dos edifícios próximos, tendo em vista a utilização de um trator extremamente ruidoso e a presença de mais de dez funcionários gritando durante a execução de seus serviços. A madrugada comportou barulhos ensurdecedores, impossibilitando humanamente o sono de qualquer pessoa.

Lembro ainda que se trata de uma zona densamente povoada e estritamente residencial, não comportando uma obra de feição completamente desnecessária de ser realizada durante a madrugada. Como se tratava de obra de recapeamento de asfalto, não exigia emergência em sua execução, restando escusos os motivos pelos quais a intervenção teve impreterivelmente de ser realizada em momento tão desapropriado.

A tremenda falta de respeito e descaso com a tranquilidade e o sono dos moradores se concretizou com a negativa do engenheiro responsável no local em adiar a obra para um horário razoavelmente exeqüível, como por exemplo, o fim de semana. Após reclamações diversas de moradores, o funcionário disse: "só estou fazendo o meu trabalho, e estou pressionado pela Comgás pra terminar isso logo".

Há claramente neste caso um abuso da prerrogativa de emergência facultada a intervenções de caráter de periculosidade, tendo em vista a referida empresa, que lida com a manutenção das tubulações de gás, conseguir junto à prefeitura a liberação de obras de caráter corriqueiro e não-emergencial para o período em que for.

Trata-se, ademais, da terceira intervenção do mesmo caráter e estranhamente executada no mesmo local durante um período de menos de quatro meses, configurando a suspeita de má-execução das obras anteriores ou algum problema diverso subjacente.

Espero que alguma atitude possa ser tomada, pois a lei do silêncio deve ser cumprida e respeitada.

Sem mais, Dmitri Cerboncini Fernandes.

David Fratel disse...

SR. PRESIDENTE DA COMGÁS :

Eu sou um cliente de vocês que há 45 dias busco atendimento da COMGÁS. Já fiz 4 protocolos e desde o dia 27/11/13 peço ligação e não sou atendido. Alegam sempre problema de cadastro, mandam para o setor responsável, pedem 10 dias, etc...... nada se resolve.
Já me mudei para o apartamento e estou seu usar o fogão. Vocês podem imaginar esta situação??

A cada vez que eu ligo para a Comgás me pedem 10 dias.
Isto não é possível!!

Agora o meu protocolo é 12629072.

Como é possível uma família viver sem GÁS !! Qual o respeito que a COMGÁS está tendo conosco !????

David Fratel disse...

Eu sou um cliente de vocês que há 45 dias busco atendimento da COMGÁS. Já fiz 4 protocolos e desde o dia 27/11/13 peço ligação e não sou atendido. Alegam sempre problema de cadastro, mandam para o setor responsável, pedem 10 dias, etc...... nada se resolve.
Já me mudei para o apartamento e estou seu usar o fogão. Vocês podem imaginar esta situação??
A cada vez que eu ligo para a Comgás me pedem 10 dias.
Isto não é possível!!

Agora o meu protocolo é 12629072.